Manual simplificado do Sound Forge, Vegas e ACID para edição de áudio

Download deste manual em formato PDF

No ÁudioLabSG, utilizamos três softwares principais para as gravações e edições (além de outros complementares, que serão abordados adiante). De maneira simplificada, podemos definir os três programas dessa forma:

Sound Forge

Este programa é utilizado no Laboratório para fazer as gravações dos alunos, e possui uma única pista. Quando um aluno quiser gravar um programa ou fazer um trabalho de uma disciplina em áudio, então você monitor deverá abrir o Sound Forge. Logo depois é só dar um Ctrl+R para abrir a caixa de gravação, em seguida tecle R para iniciar a gravação.

Para o monitor que deseja seguir sua carreira no caminho do áudio, aprender a trabalhar com o Sound Forge é imprescindível, pois este é um grandioso editor de som digital. Com ele você pode editar arquivos wave, mp3 e outros.

Outra ferramenta importante do Sound Forge é que com ele você pode extrair o áudio de CD’s de música. É só você abrir o programa, abrir a janela arquivo na barra de ferramentas e encaminhar para a opção Extract Audio from CD e escolher a faixa ou as faixas que deseja. O programa também captura o áudio de fitas cassete. Este processo será muito utilizado por você na disciplina de Radiojornalismo.

No Sound Forge você pode utilizar comandos básicos, como cortar (Ctrl+X), copiar (o popular Ctrl+C) e também colar (do também não menos popular Ctrl+V). Ou seja, se você deseja cortar um pedaço de uma música, é só você ir até o início da parte que você quer cortar, arrastar o mouse até o ponto desejado, ou efetuar marcações mais precisas anteriormente, dar dois cliques entre as marcações e para apagar basta um delete.

É possível também no Sound Forge colocar efeitos no áudio por completo ou em parte dele. Vamos citar aqui os mais conhecidos. Para chegar nestes é só ir até a barra de ferramentas e clicar em Effects.

Chorus – Com ele o áudio assume um tom mais robótico. Parece que o áudio está saindo de dentro de um túnel ou cano. Com este efeito o áudio perde suas características originais.

Delay – Neste aqui você terá que ter a curiosidade de verificar seu efeito.

Distorction – Alterando a curva do gráfico ou utilizando configurações já definidas pelo programa você consegue distorcer o áudio com este efeito. Mas para sentir as alterações indico utilizar o gráfico.

Dynamics/Graphic/soft limiter – Com este comando você consegue equilibrar o limite do áudio, ou seja, não terá pontos tão diferentes em volume um do outro.

Pitch –Altera a velocidade e a afinação do som produzido. Assim é possível conseguir uma voz lenta, enrolada e grave e também um áudio veloz e agudo.

Pitch/Bend

Através de um gráfico, pode alterar a velocidade do som de maneira variável através do tempo, produzindo efeitos de “aceleração” ou “desaceleração”.

O arquivo acelera até um certo ponto (1), depois diminui sua velocidade de reprodução (2) para finalmente ser acelerado novamente (3).

Dica: Em show wave, ative a opção mono source para visualizar a onda do arquivo de áudio.

Pitch/Shift

Se não for usada a opção “Preserve duration“, quando a velocidade é aumentada e o som fica mais agudo (“fino”). Quando a velocidade é diminuída, o som fica mais grave (“grosso”).

Exemplo de som com shift pitch negativo e preserve duration desligado (-11). O tempo total do arquivo aumenta, tornando-o mais lento. Diferentemente do pitch bend, a mudança do pitch shift é constante.

Exemplo de som com shift pitch negativo e preserve duration desligado (-11). O tempo continua o mesmo em relação ao arquivo original, apenas mudando o seu tom para mais grave.

Reverb – O próprio nome já nos passa o significado do efeito. Reverberar significa refletir (luz, calor ou som) com grande intensidade. Com isso o áudio parece que foi gravado em locais imensos onde o eco é inerente, como catedrais, grandes salões ou cavernas. Se você deseja representar a voz de um deus ou uma pessoa imponente, seria legal usar este efeito.

Vibrato – Acrescenta no áudio vibrações muito diferentes das anteriores. O efeito parece com um disco de vinil sendo tocado e de repente você o gira para frente e para trás.

Normalize – Esta ferramenta faz com que o áudio ganhe em potência, ocorre uma maximização de todo o áudio ou de parte dele. Vejamos as características das principais presets desse efeito:

Maximize peak value: aumenta o volume da seleção até o limite máximo, sem clipar ou distorce.

Normalize RMS to -10 db (speech): Coloca a média da seleção em -10db, mas dependendo do volume do arquivo original, pode distorcer o som. Recomendado para locuções.

Normalize RMS to -16 db (music): Coloca a média da seleção em -16db, mas dependendo do volume do arquivo original, pode distorcer o som. Recomendado para instrumentos musicais e música em geral.

Normalize RMS to -10 db (very loud!): Coloca a média da seleção em -6db, mas dependendo do volume do arquivo original, pode distorcer o som. Seu uso não é recomendado, pois pode distorcer muito o som.

As presets disponíveis para o efeito normalize

Reverse – Com esta ferramenta podemos inverter o conteúdo do áudio. Se é gravado a pronúncia do nome GLAUBER, por exemplo, no programa e logo depois usa-se o Reverse, então o som será REBUALG, ou seja, o nome ao contrário.

Insert Silence Adiciona um tempo pré-configurado de silêncio ao arquivo. Você pode configurar onde o silêncio será inserido (após o cursor, no começo (Start of File) ou no final do Arquivo (End of file).

Mute – Conseguimos mutar, ou seja, deixar parte do conteúdo do áudio ou ele todo, sem som. A diferença para o Insert Silence é que o mute não adiciona mais tempo ao arquivo, trabalhando apenas sobre o tempo já existente.

Equalizer Os sons normalmente são compostos de várias freqüências. Quando alteramos o volume de apenas determinadas freqüências, estamos mudando a equalização desse som. A equalização é muito utilizada na produção musical, para ressaltar as freqüências mais agradáveis dos sons, valorizando-os e deixando-os mais “bonitos” de se ouvir. Entre as utilidades da equalização, estão: atenuação de ruídos, simulação de saídas de som (como megafones, telefone, etc) e melhoramentos no timbre de instrumentos musicais e vozes.

Equalizer Graphic/Envelope

O equalizador gráfico no formato “envelope” é o que nos dá mais mobilidade para o tratamento dos sons. Ele apresenta um gráfico de volume (vertical) x freqüência (horizontal). Cada clique com o botão esquerdo do mouse na sua linha de volume cria um ponto que pode ser movido no gráfico para que você faça o ajuste. Caso queira deletar um ponto criado, clique com o botão direito sobre o ponto.

Equalizador gráfico no formato de envelope de volume.

Equalizer Graphic/10 Band

Equalizador no formato de banda, em que cada banda controla o volume de uma determinada faixa de freqüência do áudio. É o mesmo tipo de equalização que existe na mesa de som do Laboratório, e em alguns aparelhos de som, MP3 players, celulares, etc

Equalizer Graphic/20 Band

Idem acima, porém com 20 bandas, o que dá mais controle sobre a equalização. Porém, o equalizador mais completo continua sendo no formato envelope, pois permite que sejam criados infinitos pontos de volume de equalização, possibilitando um controle ainda maior da equalização.

Equalizador 20 band sendo usado com um preset (violão do áudio)

Equalizer Paragraphic

É uma interface de equalização pouco usada por ser mais difícil de ser configurada manualmente. Normalmente utilizaremos somente as suas presets, já que são pré-configuradas.

Equalizador Paragraphic com preset de remoção de ruídos (abaixa o volume das freqüências abaixo de 80Hz, que normalmente são apenas ruídos).

Equalizer Parametric

Por sua personalização ser mais difícil de ser configurada, também utilizaremos principalmente os seus presets.

Equalizador Parametric com o preset “Phone line effect” selecionado (efeito de telefone)

Process/Resample

Altera a sample rate (qualidade) do arquivo. Pode ser usado para simular uma gravação de qualidade baixa.

O arquivo original tinha sample rate de 44Hz (qualidade de CD), e após o resample ficou com 8Hz (próximo ao de fita cassete).

Éimportantequevocêmonitorsejacuriosoparaconheceropotencialdestesefeitos.Nasediçõesutilizamosumefeitosobreoutro.Porconseqüênciaconseguimosresultadosinesperados.Eéistoqueéoincríveldoprocesso.

Atalhos no teclado:

  • Seta para direita: Movimenta o cursor para a direita.

  • Seta para esquerda: Movimenta o cursor para a esquerda.

  • Seta para cima: Aumenta o zoom

  • Seta para baixo: Diminui o zoom

  • Home: Move o cursor para o início da tela.

  • Ctrl + Home ou W: move o cursor no início do arquivo.

  • End: move o cursor para o fim da tela.

  • Ctrl + End: move o cursor para o fim do arquivo.

  • Page Up: movimenta o cursor alguns segundos para a esquerda (OBS: o tempo que o cursor se movimenta depende do zoom. Quanto menor o zoom, maior será o espaço de tempo que o cursor se moverá).

  • Page Down: movimenta o cursor alguns segundos para a direita. (OBS: o tempo que o cursor se movimenta depende do zoom. Quanto menor o zoom, maior será o espaço de tempo que o cursor se moverá).

  • Barra de espaço: inicia ou pára a execução do arquivo: Funciona como Play quando a execução está parada ou Stop quando um som está sendo executado (no caso do Stop, o cursor volta à sua posição anterior à execução.

  • Enter: Quando pressionado durante a execução de um som, pausa o cursor no ponto em que ele se encontra.

  • Ctrl+A: Seleciona todo o arquivo de áudio.

  • M: Adiciona uma marcação na posição em que está o cursor.

  • Ctrl+C: copia o trecho selecionado.

  • Ctrl+V: cola o trecho copiado anteriormente.

Atalhos no mouse:

  • Clicar e arrastar usando o botão esquerdo do mouse: seleciona o trecho. Se houver uma marcação, a seleção vai até a marcação. Se houver duas marcações entre o ponto onde foi dado o duplo clique, o Sound Forge seleciona o trecho entre as duas marcações.

  • Arrastar a seleção para fora da janela em que está o arquivo: faz uma cópia da seleção em um novo arquivo.

  • Dois cliques: seleciona o trecho entre uma extremidade e outra (ex: começodoarquivoeumamarcação, ouespaçoentreduasmarcações).

Dicas Sound Forge

  • Durante uma gravação no Sound Forge quando ocorrer algum erro de locução, pressione a tecla M para marcar no arquivo onde o erro realmente aconteceu. Isto facilita muito a edição.

  • Sempre quando você for cortar alguma parte do áudio é recomendável utilizar o zoom. Assim o corte fica preciso e o áudio não fica com falhas evidentes.

  • Antes de começar a gravar uma locução, ou ao término desta, salve o projeto, não espere terminar todo o trabalho para depois salvar. Salve o projeto várias vezes durante a construção do projeto, assim você evita perda de tempo e dor de cabeça, pois o programa às vezes trava.

  • Ficar atento ao mixer, pois não devemos deixar o áudio clipar, a variação mais recomendada de volume deve estar entre –6db e –3db.

  • Para continuar uma gravação, SEMPRE mova o cursor para o fim do arquivo. Se o cursor estiver em outra posição, a nova gravação apagará o som que já estava gravado.

  • Quando existe algum trecho do arquivo selecionado, os efeitos serão aplicados somente naquele trecho. Se não houver nenhum trecho selecionado, o efeito será aplicado em todo o arquivo.

Vegas

O Vegas é utilizado no Laboratório para montagens de programas da Rádio Online, para trabalhos de diversas disciplinas, como Linguagens Digitais e Radiojornalismo. O programa possui oito pistas, e nelas você pode colocar locução, músicas e efeitos.

O Vegas também nos possibilita colocar efeitos no áudio, mas o Sound Forge possui maior quantidade de escolhas e variações. No Vegas você tem o controle de cada pista por si mesma, ou seja, se eu quiser diminuir o volume da pista 3, é só eu clicar com o mouse nela, teclar V e pronto, você terá todo o domínio. O mesmo acontece com o PAN – que é o controle da intensidade do que vai ser emitido nas saídas de som. Eu posso decidir que 30% do som saia na caixa da esquerda e o restante na direita – para ativar o controle do PAN é só teclar na pista desejada e teclar P.

Para cortar um áudio no Vegas basta você posicionar o cursor onde será realizado o corte e teclar S. O mesmo acontece quando se quer eliminar parte do áudio. É só posicionar o cursor primeiro no início da parte a ser eliminada, teclar S, depois posicionar o cursor no fim do arquivo e teclar S novamente, e posteriormente selecionar a parte a ser excluída e dar um delete.

Para colocar um arquivo de áudio numa das pistas basta você selecionar este em uma janela que fica abaixo das pistas. É só clicar, pressionar e colocá-lo onde quiser.

No Sony Vegas você pode colocar fades nos áudios. Fade é um efeito, ou ferramenta que faz com que o áudio não termine ou inicie bruscamente, mas sim gradativamente. E para utilizar o fade é muito simples, basta selecionar o áudio desejado em uma das pistas e direcionar o cursor do mouse até o início do arquivo em sua parte superior. Fazendo isto o Vegas lhe indicará um símbolo parecido com uma parábola, depois é só clicar, segurar e arrastar. Existe o fade-in, que é colocado no início do áudio, com isso o som cresce gradativamente, o fade-out, neste o som diminui gradativamente e é usado no final do arquivo e por último o cross-fade, que é o encontro entre dois áudios, sendo que o primeiro decresce, um fade-out, e o outro ascende, um fade-in. Existem variações no estilo do fade, isto você pode conferir quando estiver aplicando o fade, basta clicar com o botão direito do mouse.

Dicas Vegas

  • Muito cuidado com o volume do projeto. Não o deixe clipar, fique de olho no mixer, as variações recomendadas tem de ser entre -6 e -3db. Não deixe que uma locução fique inaudível devido a um background mal ajustado. Tomando estes cuidados o projeto terá mais chances de ser bem aceito pelos ouvintes.

  • Sempre salve o projeto várias vezes durante o processo. Porém sempre colocando a opção “copy all media” na janela de salvar. Pois se não colocar, os arquivos de áudio que foram colocados no projeto não serão salvos. Tome muito cuidado também com o loop – duas setinhas amarelas que ficam expostas acima do projeto – sempre as feche, pois se elas estivem abertas na hora de salvar é provável que apenas a parte em que as setinhas cobriam será salva.

  • E após salvar o projeto, você terá que renderizá-lo. Ou seja, transformar todos aqueles áudios divididos em várias pistas em um áudio de apenas uma pista. Você vai compactar o arquivo. Sempre renderize no formato Wave (Microsoft) pois em outro formato você não conseguirá fazê-lo.

Estas foram algumas dicas sobre o Sonic Vegas. Para aprendê-las realmente é necessário prática, e com o passar do tempo novas ferramentas serão descobertas por você. Este programa é basicamente um complemento do Sound Forge, pois muitas funções que o Sound Forge não possui, ou possui com certa deficiência o Vegas completa com eficácia. Um software complementa o outro.

Acid

O Acid possibilita a construção de trilhas de áudio com inúmeras pistas. Este programa é utilizado mais especificamente na disciplina de Vídeo Institucional. É necessário um pouquinho de entendimento musical para criar trilhas interessantes. Mas como nos outros programas citados anteriormente se você possuir curiosidade aprenderá rapidamente a utilizar este fantástico software, que é bastante fácil de aprender.

No Acid trabalha-se com loops – que são pequenas seqüências de sons ritmadas – e cada uma delas vai ser colocada em pistas diferentes. Para colocar os loops nas pistas é necessário escolhê-los em uma janela que fica na parte inferior do monitor e arrastá-los para pista desejada. Na pista escolhemos quanto tempo este loop será repetido. Para isto colocamos o cursor na pista desejada, clicamos no mouse e arrastamos até o ponto em que desejarmos. Você pode baixar loops de instrumentos gratuitamente pelo site www.looperman.com

Numa trilha trabalhamos com uma enorme quantidade de loops, um projeto normal chega a ter de 80 a 150 pistas. Por isto que o domínio e a concentração são muito importantes. No Acid temos o controle das batidas de um loop, podemos aumentar a velocidade ou diminuir.

Dicas Sony Acid

  • Paciência e experimentação são muito importantes na construção de projetos no Acid, pois levam algum tempo para ficarem prontos.

  • Nãorepitaumlooppormuitotemposeguido,façaalternânciasdesons.

  • É possível assistir a vídeos no Acid, então se for criar uma trilha em cima de um vídeo procure ter grande percepção do que acontece no vídeo.

  • Depois de tudo pronto temos que renderizar a trilha, transformando o projeto em um arquivo de som.

  • A maioria dos efeitos do Sound Forge, ACID e Vegas possui uma aba chamada de Preset. Nela existem várias pré-configurações de efeitos que agilizam o trabalho.

  • Caso você tenha criado um efeito personalizado (uma equalização para a voz de uma pessoa, por exemplo), você pode salvá-la para usar depois. Após personalizar o efeito, clique em Save As… e escolha um nome para a personalização. Ela ficará disponível na parte Preset do efeito com o nome que você salvou.

  • É importante saber os nomes de instrumentos em inglês, pois todos os CDs de loops estão nessa língua. Bass = Baixo; Acoustic Guitar = Violão; Eletric Guitar = Guitarra; Drums, Drumkit = Bateria

Como gravar podcast usando o smartphone (Android)

Preparação

  1. Faça um roteiro, mesmo que básico, para servir de guia para a apresentação do seu podcast. Você pode deixá-lo aberto em uma tela de computador, por exemplo, enquanto apresenta o programa. Alguns exemplos de roteiro:

  2. Usando o gerenciador de arquivos do seu celular ou conectando o celular num computador, crie uma pasta na memória interna do seu Android com o nome broadcastmyself.

  3. Copie para essa pasta todos os arquivos necessários para a edição do seu podcast, como vinhetas, músicas, sons, etc.

Configuração

  1. Baixe o aplicativo BroadcastMyself Pro na Play Store (versão PAGA). (https://play.google.com/store/apps/details?id=sa.broadcastmyselfpro&hl=pt_BR). Se utilizar essa versão, pule para o passo 6.
  2. O aplicativo já teve uma versão gratuita, mas foi retirada da Play Store. Você pode baixar o instalador (APK) dessa versão e instalar manualmente no seu Android. Para isso entre no site https://apkpure.com/br/broadcastmyself/sa.broadcastmyself/download?from=details e baixe o arquivo APK para o seu celular.
  3. Abra o arquivo baixado. Se aparecer uma tela perguntando se deseja instalar o app, clique em Instalar e aguarde. Caso o app tenha sido instalado, siga para o passo 6. Caso tenha aparecido uma mensagem dizendo que não foi possível instalar devido a restrições de segurança, siga para o passo 4.
  4. Abra o aplicativo de Configurações do seu Android. Procure a opção Fontes desconhecidas e marque a opção com esse nome. Normalmente fica em Configurações → Segurança → Fontes Desconhecidas, mas pode variar de acordo com o telefone.
  5. Abra o arquivo baixado no passo 2. Quando aparecer uma tela perguntando se deseja instalar o app, clique em instalar e aguarde.
  6. Abra o aplicativo BroadcastMyself instalado no seu celular.
  7. Caso o aplicativo peça alguma permissão, como acesso ao microfone ou acesso ao sistema de arquivos, toque em Aceitar.
  8. Clique no menu de opções (3 pontinhos), localizado no canto superior direito do app.
  9. Caso queira apenas gravar o podcast, sem transmitir ao vivo para a rádio, clique em Output Mode, selecione a opção File Output e aperte OK. Isso fará com que o app salve seu podcast como um arquivo mp3 após a gravação, na pasta broadcastmyself do celular. Caso você queira transmitir o seu podcast ao vivo para a rádio,.
  10. Precisaremos sair do app para ativar essa modificação. Aperte o botão voltar do seu smartphone 3 vezes para sair do aplicativo. Em seguida abra o app novamente.

Gravação

  1. Arraste o slider da parte inferior esquerda do aplicativo totalmente para cima. Esse é o controle do volume do seu microfone. Fale seu texto em voz alta para testar. As barrinhas de medição de volume na parte inferior central do aplicativo deverão se movimentar. Regule o volume do seu microfone novamente se necessário, utilizando esse slider da esquerda.
  2. Arraste o slider da parte inferior direita do aplicativo totalmente para cima. Clique em algum áudio da sua playlist na parte superior direita para testar se o volume do áudio está adequado. Regule o volume do som se necessário utilizando esse slider da direita. A recomendação é deixar esse volume no máximo para sons e músicas que tocarão sem locução simultânea, e abaixar o volume para próximo do mínimo quando você estiver fazendo uma locução e quiser que o áudio da playlist fique de BG.
  3. Clique em STOP se quiser parar de tocar o áudio da playlist.
  4. Clique em MODE e escolha Auto-Next para que a playlist siga a ordem dos arquivos automaticamente. Clique em MODE novamente para que a playlist toque de forma aleatória. Clique em MODE mais uma vez para selecionar o modo Normal, em que somente o áudio clicado toca (os próximos não tocarão automaticamente).
  5. Clique em MUTE se quiser tirar o som da playlist, mesmo que haja algum áudio tocando no momento. Clique em MUTE novamente para retornar o volume ao normal.
  6. Clique no botão na parte inferior central do app para iniciar a transmissão e/ou gravação (de acordo como você configurou o aplicativo). Se a transmissão e/ou gravação estiver acontecendo normalmente, este botão ficará azul.
  7. Clique novamente no botão na parte inferior central do app para encerrar a gravação. O botão ficará cinza. O arquivo da gravação será salvo no formato mp3 na pasta broadcastmyself na memória interna do seu Android.
  8. Envie o mp3 da gravação do seu podcast para o seu site de hospedagem (Soundcloud, Anchor, Megafono, Castbox, etc). Caso seu podcast seja hospedado na Rádio Online PUC Minas, envie um link do mp3 para radio@pucminas.br com texto e imagem do banner para publicação.

Outras opções de apps

Anchor.fm
https://www.youtube.com/watch?v=cKAZKLEx6qA
https://www.youtube.com/watch?v=RqMwqXKfsng

Castbox
https://www.youtube.com/watch?v=VvWfJ8HaUz8
https://www.youtube.com/watch?v=9eyWB1ss1t0

A guerra semiótica de Bolsonaro: “quando o meio não é a mensagem” | com Felipe Pena

Vinheta da aula inaugural com Felipe Pena para os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda na unidade São Gabriel. Edição feita por Daniel Araújo.

Felipe Pena é jornalista, psicanalista e professor da UFF. Doutor em Letras pela PUC-Rio, com pós-doutorado pela Sorbonne, foi diretor da Rede Globo, comentarista do programa Estúdio I, na GloboNews, e professor-visitante das Universidades de Nova Iorque e Salamanca. É autor de 16 livros, entre romances, ensaios, crônicas e biografias. Foi finalista do prêmio Jabuti duas vezes e dirigiu o filme “Se essa vila não fosse minha”.

JORNALISMO DE RESISTÊNCIA: A ÚLTIMA FRONTEIRA DA DEMOCRACIA | com Felipe Pena

Vinheta da aula inaugural com Felipe Pena para os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda na unidade São Gabriel. Edição feita por Daniel Araújo.

Felipe Pena é jornalista, psicanalista e professor da UFF. Doutor em Letras pela PUC-Rio, com pós-doutorado pela Sorbonne, foi diretor da Rede Globo, comentarista do programa Estúdio I, na GloboNews, e professor-visitante das Universidades de Nova Iorque e Salamanca. É autor de 16 livros, entre romances, ensaios, crônicas e biografias. Foi finalista do prêmio Jabuti duas vezes e dirigiu o filme “Se essa vila não fosse minha”.

Hit de Produção da Rádio Online 2-2019

Clipe idealizado pelos monitores Hian Grylls e Daniel Duarte para comemorar o recorde de produção da Rádio Online do 2° semestre de 2019.

Confira os podcasts da Rádio Online em:
http://fca.pucminas.br/radio/

E olha que legal a letra da música:

Hit de Produção
(Versão: Hian Grylls / Daniel Duarte) (Jingle original: Rodrigo Vasconcelos / Cris Lacerda)

Essa produção é do LabSG
Onde você, vem aprender
Aqui na PUC Minas são Gabriel
Aqui na PUC Minas são Gabriel

Yeah a rádio online é pra você
Tem muito conteúdo exclusivo, pode crê
Sortidos tá no ar, pp no sg
Noise gate já gravou
Agora é a vez do salitre

Política na rede mandando o papo reto
Conscientizando agora é hora do nos eco
Puc em campos, bug do milênio
O perfeito podcast pra você voltar no tempo

Essa produção é do LabSG
Onde você, vem aprender
Aqui na PUC Minas são Gabriel
Aqui na PUC Minas são Gabriel

Com influencers remixou
Icônico cast já bombou
P-max no nosso time entrou
Interferência externa e Deu Liga
É goooool…

Vozes Politicas arte que milita
Último volume tá presente nessa fita
Hits do br Lista 1 tem pra você,
E o show do Costelão é só na rádio do SG

Recorde de produção
Que tu nem tem noção
Transmitindo emoção
Sem falar na inovação
Não é fácil meu irmão
Pega logo essa visão
Rádio online no SG sucesso e diversão (2x)

Essa produção é do LabSG
Onde você, vem aprender
Aqui na PUC Minas são Gabriel
Aqui na PUC Minas são Gabriel

REALIZAÇÃO: @LabSg

FICHA TÉCNICA:

Direção: Hian Grylls
Produção: Hian Grylls, Daniel Duarte, Cris Lacerda
Edição Visual: Hian Grylls, Daniel Duarte
Edição Musical: Hian Grylls, Alexandre Morato
Idealização: Marcelo Santos, Hian Grylls
Imagens: Luís Henrique, Julia Sales, Daniel Duarte, Hian Grylls
Vozes: Hian Grylls, Amanda Micaelle, Cris Lacerda, Marcelo Santos, Daniel Duarte